sexta-feira, 11 de julho de 2008

De (s) fazer malas

Odeio. Elas embaçam toda aquela empolgação com a viagem! Porque lembram das preocupações. “Tenho que levar isso, não posso levar aquilo porque posso perder, não posso esquecer daquilo-outro – vai que acontece aquilo lá, né?”.
E, mesmo assim, não consigo ir sem mala. Já disse, em
outro post, como queria fazê-lo; desde então, não o cumpri, foi como uma promessa de final de ano (promessas deveriam ser de começo de ano!).
A verdade é que a mala representa um pacote de segurança (assim já mostrava a boa-e-velha bolsa do Gato Félix). Sobra-me falta de medo de sair poraí, mas a bagagem me lembra que ainda me sinto mais indefesa do que muitos espinhos do mundo. Claro que o incoerente seria se não me sentisse assim.
O inconveniente é que não costumo seguir o tão popular “menos é mais” quanto a malas. Não me importo de carregar mais peso se existe a (remota) possibilidade de realmente precisar de algo a mais. Bem, talvez isso até seja algum tipo de virtude.
O engraçado é que sigo o mesmo “lema” (‘mais é mais?’) em relação às palavras. Exato: às vezes, falo demais (sobre eu mesma, já que sou eu que decido o que é meu ‘segredo’; as palavras dos outros sobre os outros, procuro guardar até segunda ordem).
Mas quer saber de uma coisa? Mesmo sofrendo com conseqüências de algumas falas a mais, não costumo me arrepender delas. Palavras são segurança: quando ditas, provocam efeitos bons ou ruins; já guardadas, não provocam nada, não abrem possibilidades.
Acho que é por isso mesmo que os escritores tanto escrevem. Dá pra notar certa insegurança diante do mundo em muitos deles, que recorrem às letras pra falar sobre ela. É por isso também que, quando não tenho o que dizer, sinto vontade de me afogar em palavras. Prefiro tentar nadar a ficar apenas observando o rio correr.
Mas não sinto a menor vontade de me afogar em malas – então, vim me refugiar nas palavras aqui. E, quem sabe, esse amontoado de letras preste a alguém mais, já que palavras alheias também podem ser abrigo.

3 comentários:

Grande Rael disse...

=DDDD
sim sim!

Alice disse...

é.
palavras alheias são um abrigo!

;)

Teresa Perosa disse...

de arrumação de malas a palavras alheias...mto bom compañera =)

um beijo!