domingo, 23 de dezembro de 2007

Lusco-fusco

Chamei e você veio – veio, foi, voltou e ficou. A luz estava acesa, quis apagar, mas você não queria. Ficou acesa então, talvez tenha sido esse o nosso erro. Foi tudo real demais. Estivéssemos no escuro, facilitaria o esquecimento, as memórias se embaçam quando fogem as cores. Os olhos se acostumam à meia-luz e dá pra ver tudo, só que sem cores. Os contornos são o que importa para se orientar no espaço e no tempo, mas são as cores o preenchimento, aquilo que provoca a pausa, a momentânea sensação de completude. E as cores estavam conosco, todas elas. Só foram embora quando você também foi. Da próxima vez que vier de saída prevista e breve, apague a luz.

Um comentário:

sobressalto disse...

aaaai
q triste
eu nao qro falar sobre isso

bonito
bjo