quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Desvario-nos

Foi tudo louco
- demasiado
Cada gesto parecia desligado
um do outro
Foi sem sufoco,
porque era alado
Mas nem sempre fomos lado a lado
mais um no outro
disfarçado

Não me digam que foi pouco
era rouco
Um pecado?
- Apenas decidiu ser descolado
fugidio, não desolado
Menos que quase tudo
Mais que quase nada
Como rima furada
Tão bela musicada

Se era forma ou conteúdo?
- É freqüência
que não cai nem em cadência
De um luz-anoitecer
Ou um lua-ensolarar
É algo aqui e lá
Pro corpo atormentar
e o chão desatinar
até a cabeça

Como loucura de dois
sem um certo depois
Com um cada nuns sims
e sabendo seus nãos
Uma guerra de sãos
num quarto de vãos
Sem qualquer decisão
que se acabe com pois
Desavisado desvario achado

2 comentários:

Gus disse...

O nosso corpo é como um templo precioso
Guardando a sete chaves o coração orgulhoso
A nossa mente é a armadilha perfeita para o algoz
Mas o maior inimigo encontra-se dentro de nós
O coração é curioso e inocente
Mas é por isso que alguém, sábio tinha algo em mente
[e por isso]Deus colocou a cabeça em cima do coração
Para que o sentimento não ultrapasse a razão

Gus disse...

você ganhou...

bjz!

gus