quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Todo poeta deveria...

.
saudar o sol e a lua
achar beleza no lixo
andar sempre com uma caneta (papel se arruma no bar)
puxar papo com desconhecidos
conversar com as estrelas
sentir o cheiro da chuva vindo
sair pra beber com os amigos (e ser carregado, eventualmente, já que os carrega tantas vezes também)
fazer promessas de amor
descumpri-las se a chama acabar
cantar sem saber a letra
dançar sozinho
perder-se numa estação de trem ou centro de cidade grande
escutar a música do vento
ter raiva de muitas coisas (e paixão por outras tantas)
perder a vergonha da cara com uma certa freqüência
presentear um poema
seguir as linhas das estradas
desenhar nuvens no céu
deixar-se fazer feliz por alguém
querer fazer alguém feliz
perceber a inutilidade de se contar o tempo
descontrolar-se e gritar sem sentido ao vento (pelo menos uma vez por ano)
olhar fotos antigas
espantar-se com mistérios numa gaveta velha
inimaginar o sentido da vida (apesar de sempre buscá-lo)
andar descalço
plantar
sentir cócegas da água
inventar desculpas
ler até bula de remédio, mas, principalmente, emoções das pessoas
maquinar planos
sofrer desenganos
nadar em lágrimas (de tristeza e alegria)
diferenciar os tons de verde da grama
visitar o Rio de Janeiro, ao menos uma vez (apesar de também amar outra cidade)
ter sonhos e medos
conquistar alguns de seus segredos
sair sem destino

...ser um pouco pretensioso (como eu)

5 comentários:

Gustavo Braga disse...

_ todo poeta deveria... seguir uma lista como essa e, ao acabar, começar tudo de novo.

Alice Agnelli disse...

todos, todos deveriam.

=)

Cris Sinatura disse...

todo poeta deveria apreciar textos belos como esse!

Fontes disse...

Se todos os poetas fizessem todas essas coisas, eles seriam todos meio parecidos e chatos.

Gostei do "plantar". Simples, curto, lindo.

Não me lembro se já disse isso antes, mas gosto daqui.

chocochris disse...

Bru!

como disse o senhor Fontes, se todos os poetas fizessem todas essas coisas, todos seriam iguais.

Mas levando em conta que cada um deles pode fazer a combinação que quizer com alguns desses ingredientes, aí sim teríamos infinitos poetas fabulosos.

Lindo texto :)