segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Morangos pra desatinados

09/08/07 – 1:37 a.m.

E vim parar aqui. O computador já estava ligado, como que preparado pra receber meus pensamentos atordoados, que têm mania de alojar-se em letras. Vontade de escrever, mas preguiça de existir. Queria que as letras existissem todos os problemas por mim, que me anulasse nelas, sem ter que dar satisfação pra mim mesma.


Satisfação; por que nos cobramos tanto? É um tanto injusto cobrar-se felicidade o tempo todo, felicidade torna-se obsessão, o que não traz nada de bom. Obsessão desloca-se de um objeto pra outro, sem atingir objetivo algum, porque sua finalidade não tem conteúdo, é nada senão a vontade de atingir, suceder, completar.

Deparei-me com uma caixa de morangos. Mesmo sabendo que os morangos não resolveriam meus problemas com laranjas, desejei entupir-me deles, que eles me completassem sem deixar lugar pra complemento. Assim como me afogo aqui nessas letras e no tempo.


Tempo; por que lembrei que ele existe? Ah, sim, lembrete no mural “8:30 da amanhã, amanhã, dentista”. Terrível espacialização do tempo que o torna assustadoramente real e delimitador. Delimitado o meu tempo pra escrever mais, por hoje.

*

Um comentário:

PedroKa disse...

E depois de formados, acho que piora..
Ai agente descobre oq significa "viver intensamente" sem ser através de esportes radicais..

1,2,3!
Perde quem dormir no emprego primeiro! :P